23.11.05


Ensinar filosofia

O primeiro passo para o professor ensinar filosofia é dado no momento que ele começa estudar filosofia, busca aprender a filosofia e ler a história dela e associar a sua própria vida. Para ensinar filosofia é fundamental agir de modo exemplar, transmitir uma forma de conduta e uma postura a cerca da filosofia que se possa ser seguida. A tarefa do professor de filosofia de definir sua posição pôr determinada concepção filosófica, determina qual o espectro do professor frente a conteúdos cognitivos de filosofia, mesmo porque, há aspectos da filosofia clássica que devem ser estudados e, simultaneamente os alunos vão se familiarizando com linguagens e processos argumentativos desenvolvidos ao longo dos anos que propiciam o desenvolvimento do pensamento reflexivo.
A dedicação à leitura é fundamental para o ensino de filosofia. O professor deve ler com os alunos, os textos clássicos, pois isso os reporta ao afastamento no tempo propiciando melhor compreensão de certos conceitos que possa atualmente estar intrínsecos a realidade e, prestando atenção aos textos que os filósofos estão discutindo na atualidade, observando o que se chama filosofia no cinema, na literatura, nos jornais para usar como conteúdo ou forma de abordagem mesmo sabendo que esse seja uma tarefa minuciosa e estritamente complexa.
Os argumentos pensados, equilibrados buscam esclarecer as dúvidas que os alunos possuem, sobretudo a cerca dos temas de religião, ética e política e sobre o significado da justiça, do poder e seus papéis na sociedade. O ensino de filosofia visa o desenvolvimento das capacidades de análise e leitura, que geram dispositivos que propiciarão o raciocínio e argumentação, essa passagem ocorre quando o aluno começa interrogar e formular questões e objeções sobre a realidade a qual ele vive.. As dúvidas e as perguntas colocam a filosofia em constante movimento, as mentes estarão sempre inquietas ocorrendo a partir disso o que se chama filosofar.
O filosofar é também propiciado pelo uso de meditações didáticas do professor como: esclarecimento dos conteúdos. - tendo em vista que o filosofar pode ser de qualquer disciplina, e dinamização de tarefas pela criação de atividades e trabalhos que colocam os alunos no caminho de reflexão sobre temas propostos e de filosofarem, ou seja, desenvolver e praticar a observação, a análise, as criticas e a argumentação, caminho que só eles poderão percorrer mesmo que guiados e apoiados pelo professor.
Sabemos que na prova do Peis-UFSM em 2006 e no vestibular da UFSM de 2007 vai constar as questões referentes a disciplina de filosofia. Porém, noto que as escolas não estão adequadas estruturalmente para preparar o aluno para tais provas ou também para a vida, pôr falta de livros, salas e professores específicos de filosofia. Há falta de interesse por parte das escolas bem como dos meios públicos ou desinformação ou falta de orçamento para tamanho desinteresse pelo assunto. Os professores terão grandes dificuldades ao preparem e ministrarem as aulas e os maiores prejudicados serão os alunos, com isso, o atraso no aprendizado da classe no que diz respeito a disciplina de filosofia será inevitável. Por fim, creio que a situação, apesar de problemática e conflitante, vai ser resolvida aos poucos. A inclusão no PEIES e no vestibular da UFSM já é um fato positivo para os amantes da filosofia e admiradores. No entanto, o poder público, os professores, educadores, as escolas, as universidades, pais e alunos devem se esforçar e trabalharem em prol de melhorar o projeto de inclusão da filosofia como disciplina nas escolas bem como debater e definir uma maneira que seja adequada para a sua aplicação.

web site hosting count: