9.12.05

Kant e o Futebol

Parece estranho falar em Kant eo futebol, mas é isso que irei tentar fazer. Começo por explicar alguns fatos específicos do futebol: as decisões extra campo e a mala preta. No que esses fatos interferiram no desenvolvimento e conclusão do campeonato e mais, o que Kant tem a ver com tudo isso?
Teoricamente no campeonato brasileiro deste ano existem dois campeões: Internacional e Corinthians. Por que? O Corinthians foi campeão benefiaciado por uma decisão do STJD, que anulou onze jogos, supostamente fraudulados por um árbitro que se deixou corromper. O Internacional foi o time que mais somou pontos sem a anulação dos onze jogos, intitulando-se o verdadeiro e único campeão.
O que é a mala preta? A mala preta é uma prática, talvez muito antiga e contestada no mundo do futebol que é o seguinte: na última rodada do campeonato a equipe do Internacional precisava ganhar o seu jogo e abrir cinco gols de diferença sobre a equipe do Corinthians. Além disso seria preciso que a equipe do Goiás ganhasse o jogo do Corinthians, o que faria do Internacional o verdadeiro campeão. A equipe do Goiás não poderia mais ser capeã, logo a motivação no jogo seria quase nula. Aqui entra a famosa mala preta. O Internacional para motivar os jogadores do Goiás, ofereceu um certo valor em dinheiro, supomos que duzentos mil reais, para que ganhassem o jogo do Corinthians.
O que Kant poderia nos dizer dessa prática? Se a equipe do Goiás se motivar somente pela oferta de dinheiero de outra equipe, estará agindo por dever ou pelo dever de vencer os seu jogos? E mais, poderiamos criar a seguinte máxima: toda equipe que não tiver mais chance de ser campeã, essa equipe pode se vender por um certo valor em dinheiro. Parece que se aceitarmos essa máxima, restaria lugar para paixões, amor ao clube, será que haveriam pessoas, torcedores apaixonados pelas equipes? A equipe do Goiás agindo segundo um pagamento extra, estaria desconsiderando as pessoas que se intitulam torcedores, seja do Goiás ou de qualquer outra equipe de futebol. Certamente agindo mediante pagamento de outra equipe, o Goiás estaria agindo pelo dever de ganhar.
Diferente de quando os jogadores do goiás jogam e ganham os seus jogos por dever, ou seja, motivados por estarem vestindo a camisa do clube e mediante os salários recebidos do próprio clube. Segundo Kant, a equipe do goiás não deveria aceitar e agir segundo a motivação gerada pela mala preta, pois dessa forma, estaria agindo moralmlente de forma desonesta, onde não haveria valor moral algum.
Hoje isso está acontecendo no futebol, mas sabemos que isso também está acontecendo na política, onde nosso deputados que foram eleitos de forma democrática, deveriam fazer e aprovar leis para o benefício de todos, sem que para isso devessem ser motivados por um dinheiro extra. Sempre que nossos deputados aceitam, por exemplo: o famoso mensalão que é parecido com a mala preta do futebol, estariam agindo contra a moral. Deveriam esses agir por dever, votar e aprovar tais leis apenas em prol da sociedade brasileira, visando o bem de todos, motivados apenas pelo salários que recebem para isso e pelo bem que tais leis pudessem gerar. Como vimos a mala preta do futebol que tão desapercebida passou, não pode ser tomada como uma lei universal, pois não engloba o bem de todos ou da grande maioria. E quando pensamos que tais prática também são usadas na política, que na Grécia antiga era entendida como ética, o que devemos pensar? Será que a política brasileira tem espaço para ética, parece que a palavra corrupção representa melhor a política no Brasil, infelismente!

web site hosting count: